Sobre a Dependência Química

Por Antonio Carlos – Coordenador Terapêutico do Portal de Luz

Em meu ponto de vista, há 25 anos sem uso de drogas e álcool e nos últimos doze anos trabalhando diretamente com adictos – e me parece o termo mais preciso pra definir pessoas que sofrem não apenas de uma compulsão sobre substâncias químicas, mas também comportamentais – pude observar alguns aspectos que me levam a uma visão simples sobre este assunto.?
Não tenho a pretensão de inventar ou de dizer que sou dono de alguma verdade neste campo, que sempre passará definitivamente pelo campo da ciência, pois o primeiro valor para mim inquestionável sobre a dependência química é que ela de fato é uma condição física, uma resposta neurológica que leva as pessoas à escravidão total de drogas ou álcool. Outro valor inquestionável para mim, é que o sucesso para sair desta obsessão física e mental, na grande maioria dos casos, é uma internação ou tratamento que priorize o afastamento da oportunidade de se usar drogas ou álcool.

Não estou querendo dizer que outras formas não funcionem, afinal ALCOOLICOS ANÔNIMOS vêm ajudando alcoólicos desde de 1935, oferecendo reuniões de duas horas e ajudando milhões a saírem desta condição degradante que o alcoolismo leva o ser humano. Por tudo isso, SIM, programas ambulatórios como os CAPS AD (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas) podem surtir efeito para alguns, e promover abstinência contínua na vida dos usuários deste tipo de serviço. Minha opinião não poderia ser diferente, afinal, não sou e nem quero ser um acadêmico pra avaliar esta questão de tais serviços como o CAPS ou mesmo como funciona esta disfunção física que leva muitas pessoas à dependência química.

De absoluto, o que posso dizer sobre a dependência química é minha própria vivência, e se não fosse a intervenção de uma internação para tratamento, eu não estaria escrevendo estas linhas.

A grande verdade da vida é que somente quem vive estas obsessões tanto física como mental, sabe o que é despertar de um pesadelo movido pelas conseqüências do uso de álcool ou drogas, e mesmo sabendo que as conseqüências são sofridas por causa delas, ainda assim é movido por uma força irresistível e irracional de correr para o uso da próxima dose, mesmo momentos antes ter jurado não mais usar. É movido pela intoxicação de seu corpo que sempre grita por mais, e sua mente que não consegue ver outra saída, e sempre que tem a oportunidade de usar álcool e drogas faz esta opção por mais degradante que esteja sua vida aos olhos dos outros.

Sei que muitos vão dizer que minha experiência não pode se tornar uma regra, mas me atrevo a dizer que neste quesito dependência química pode sim, como também observei em minha convivência em sala durante 10 anos com outros adictos, e nos últimos 12 anos promovendo a reabilitação de pacientes com uma amostra de mais de 7 mil pessoas.

Por isso, em minha opinião a internação não é o que garante longos anos de abstinência, mas é o melhor marco para o começo de um processo de abstinência.

Um tratamento não serve apenas para assegurar 90 dias de abstinência, mas sim uma oportunidade única de um adicto num programa de recuperação aprender mais sobre si mesmo, pois a manutenção da abstinência contínua está diretamente ligada a uma mudança comportamental, que somente acontece com mudanças de crenças ou novas maneiras de encarar as emoções, num contato mais consciente com seus próprios sentimentos.

Sei que muitos são contra internações, e eu também contra internações longas principalmente para quem está entre as três primeiras tentativas, porém, para aqueles fadados ao fracasso em vários tratamentos a melhor investida é permanecer o maior tempo possível afastado das oportunidades de uso, o que atualmente é garantido por lei até um ano de internação. Viver em um ambiente seguro, sem oportunidade de uso, fortalece novas crenças e respostas a situações emocionais de desconforto, possibilitando novos caminhos para o enfrentamento de viver sem drogas.

Por tudo isso, há 13 anos estamos oferecendo tudo o que é essencial para o sucesso da reabilitação, um ambiente sem drogas e álcool e um tratamento que possa efetivamente mostrar a seres humanos, que como eu outrora foram derrotados pelo álcool e as drogas, independente do ponto que chegaram é possível entrar em recuperação pelo resto de suas vidas, sem esquecer que o dia mais importante dessas pessoas é o DIA DE HOJE….